Número total de visualizações de página

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Adicione Título

"CSEM, com certeza o melhor curso do mundo"!!!

Uma hipérbole estampada no peito e no coração de todos nós que gritámos o nosso curso com vozes roucas e desgastadas pelas longas noites da recepção ao caloiro, ontem á tarde tocamos o rubro no memorável desfile académico!

Mesmo molhados e cansados, cada um dos caloiros de comunicação viveu este momento ao máximo, fez do sorriso uma constante e da voz a arma numa batalha pacifica entre outros cursos do IPL! Depois do desfile, a missa, a dor nos joelhos, os baloes com água a virem de todas as direcções, os arrepios de frios, o momento solene da óstia, o cheiro naúseabundo da sagrada mistela, as letras que proferimos, a musica que cantamos e no final o baptismo no "jardim dos mortos"...

Foi neste mesmo jardim que sem medos dois caloiros saltaram para dentro da fonte, os girinos, o cheiro da água e a cor acastanhada nao foram barreira, logo a seguir ja quase todos estavamos la dentro de penicos na mão cheios de água á espera que nos apadrinhassem oficialmente!

O sorriso teimava em não nos deixar e viver era palavra de ordem! O dia nunca vai desaparecer da memória para dezenas de caloiros nao so de comunicação social e educação multimédia como de todos os outros cursos!

Bela é a vida de estudante... "

Oct 26, 2007 4:07 PM - Ao tempo que isto ja foi!! Ai ano de caloira que não voltas mais...

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Adicione Título

"Como morri?
Perdido num mundo vazio de tão cheio!
Durante anos mudei todos os dias de cama, comi de um tal pão que me matava a dependência fútil de alimento semanal, tive a honra de beber da mesma água que todas as pombas brancas e menos brancas. Perdi o hábito ou o lugar ou o conhecimento da higiene. O nojo pregou-me o olhar ao chão e a fraqueza esticou-me a mão.
Um dia acordei e estava sol, doía-me o peito e eu tinha acordado na rua, cheirava mal e as pessoas olhavam enojadas para mim, mas estava sol.
Arranquei o olhar das pedras macias da minha cama e procurei apoio...
A dor aumentou!
Supliquei ajuda!
Caí de joelhos e chorei! Como nunca tinha chorado!
As pessoas não me vêem e as que me reparam desviam-se de mim! Caí no chão!
Senti-me a desmaiar.
Lembrei que já muitos luares não provava o pão nem a água…
A dor ficou mais forte e mais forte e forte! Não a aguentei!
Agarrei o peito e as vontades, agarrei o que perdi na dignidade que não sei onde deixei.
E morri ali.
No meio da rotina de tantas pessoas que nunca me viram…"

"As imagens de um mundo cego" por AndreiaMateus

sexta-feira, 7 de maio de 2010

AdicioneTítulo

Pedaços do que fui em folhas que já não tenho:

"Apetece-me fumar até o sol aquecer o fumo...
Apetece-me escrever até não conseguir estar acordada...
Apetece-me fugir de tudo...
Apetece-me dançar e esquecer o mundo...
Apetece-me fotografar a aurora até o sol se pôr e voltar a estar escuro na cama...
Apetece-me viver... "

de "as palavras que se repetem" por, AndreiaMateus

quarta-feira, 5 de maio de 2010

E pronto...

Daqui a uns meses vou chorar quando ler o que escrevi (suspiro)
Para vocês meus caros colegas e amigos! Poema a Leiria e a CSEM!

"Leiria, Leiria...

Suspiro por ti, suspiro por mim, suspiro por nós!
Perdi-me em ti, encontrei-me aqui, e a ti dou voz!

Vicios, cantigas, loucuras, amores
Amigos, amigas, tristezas, louvores
O Terreiro, a sé, a calçada da rua
O doutor, a caloira e a academia qué tua!

Ontem cheguei, amanhã partirei,

O tempo voou e o curso acabou!
Recordo os momentos
Contruo saudades!

Leiria de encantos, de vícios e de amantes
Leiria de recantos, de romanticos e de amores!

Os copos, os desfiles, as festas, as amizades!
Os desgostos, as derrotas, as tristezas, as vontades!
A relva, as praxes, o átrio, os arraias,
A Tuna, a discoteca, a música e tanto mais!

A vós, ás memorias, á cidade, aos momentos, ao melhor curso do mundo...
Até sempre!! "

Andreia Mateus