Número total de visualizações de página

terça-feira, 26 de julho de 2011

Adicione Título


Entrou e sentou-se...
Olhou-a de soslaio como quem não quer saber. Ela olho-o de volta, tinha olhos verdes, daqueles que não deixam ninguém indiferente!
Demoraram o olhar um no outro, como se estivessem a avaliar-se mutuamente, ela cedeu primeiro, ele demorou-se mais alguns segundos!
Ele bebia Jack Daniel’s e consumia-se de desejo a cada trago...
Ela bebia Martini Bianco e fingia ignora-lo enquanto brincava com o copo!
Ela vestia um vestido preto, sem decote, mas justo o suficiente para lhe revelar as formas acentuadas do corpo!
Ele tinha olhos castanhos, pele morena e um perfume estonteante. Vestia uma camisa branca que lhe fazia sobressair os ombros. Tinha um ar descontraído e sensual.
Ela estava com uma amiga mais bonita do que ela mas vazia de charme ou interesse!
Ele estava só. Gostava de sair sozinho, a solidão deixava-o consumir aquela morena de olhos verdes, despi-la e envolve-la! Deixava-o sentir-lhe o gosto e a pele e fazer tudo o que quisesse sem sair daquela cadeira, sem ter de fazer conversa de circunstância com ninguém, sem largar o seu whisky e o seu lugar privilegiado no bar.
Ela desejava estar sozinha, a companhia não era amiga e a música do bar não era boa. Apetecia-lhe um jazz suave que acompanhasse o seu Martini e o homem estonteante que reparara nela. Mas teria ele reparado mesmo ou seriam apenas as carências a falar mais alto? Mas não.. aquele olhar não podia ter sido acaso! Teve vontade de mudar de companhia e de sentar-se na mesa da esplanada, mesmo ao lado daquele perfume e daquele whisky!
O último gole... um último olhar à sua volta, o rio caía em cascata a poucos metros da sua mesa, num som envolvente e relaxante, a esplanada estava quase cheia de barulhos, de pessoas e de cigarros, a noite estava amena e quente. Um último olhar na mulher fabulosa que lhe preenchera a noite, tinha agora um olhar triste e perdido... não teve vontade de nada naquele momento! Levantou-se e caminhou em direcção ao interior do bar, com os olhos presos nos olhos verdes como que hipnotizado.
Ela bebeu num trago o pouco que lhe restava de Martini e suspirou, o som house, as maquilhagens exageradas, as conversas desinteressantes da companheira, os sorrisos falsos que a rodeavam... nada lhe enchia as vontades! Quis ir embora naquele momento! Olhou de novo a esplanada, para recordar o olhar e a figura masculina que a prenderam há alguns minutos ou horas atrás. O seu coração disparou, ele caminhava na sua direcção, com o olhar preso em si!
Olhou-a tão fixamente enquanto andava que ela o olhou de volta, olharam-se novamente, desta vez com mais intensidade, com mais envolvência, olharam-se com tal desejo que quase se despiram mutuamente ali, em pleno bar. Mas desta vez ele cedeu primeiro, desviou o olhar para a caixa pagou e foi embora sem olhar para trás.
Ela desacelerou o coração e teve vontade de correr atrás dele, de o agarrar e de descobrir aqueles ombros fortes. Deixou-se estar. Suspirou novamente, olhou a amiga bonita e retomando a conversa vazia pediu outro Martini...

terça-feira, 19 de julho de 2011

Adicione Título

Ontem olhei para o espelho e senti-me fora de mim, como se a imagem refletida fosse eu e o corpo gigante com olhos curiosos que me olhava fosse ela! Achei-a estranha, não a achei muito bonita mas também não era feia!
Achei-a exactamente aquilo que sonhei para ela!
Mas... e agora?
Depois de realizar os sonhos o que fazemos?
Construímos sonhos novos não é?
E onde posso encontrar os sonhos novos?
Será que bastará fechar os olhos e construí-los?
Não. Acho que vou ter de compra-los!


Ah... encontrei-os aqui!
Mas são tão caros!
Vou regatear com o destino!



Não deu resultado... os sonhos hoje em dia são demasiado caros!
E parece que tudo tem um preço... e agora o que faço?
Vou juntando uns trocos para comprar quando estiverem em saldo ou espero mais uns anos na esperança que a crise se desvaneça, o fmi actue e o país dos sonhos volte a ter uns fundos para o vulgar contribuinte?
Ouvi dizer que este mesmo contribuinte continua a comprar sonhos! :O

Mas sonhos a sério?!
Não. Claro que não! Férias, colchões, lcd's, iphones, festivais, carros topo de gama... tudo sonhos de plástico, de pó e de chapa! Tudo sonhos "low cost" que empatam o dinheiro que um dia poderia chegar aos verdadeiros sonhos! Os que não são de plásticos, nem efêmeros! Os que nos fazem olhar o espelho e sentir orgulho no que construímos como se fossemos o reflexo de nós prórios a olhar-nos de fora!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Adicione Título

"Se sou sensual? Não, não sou... Acho que nunca tentei sê-lo. Pelo menos nunca treinei em frente ao espelho! Mas sabes, tenho pele macia, lábios carnudos, especialmente o inferior, geralmente sabem a cereja quando uso o tal baton. Ah e tenho uma cicatriz que se nota ao tocar e ao beijar...
Tenho olhos vulgares à primeira vista mas que se salpicam de um verde mágico quando me fazem chorar..
Tenho um sorriso contagiante com dentinhos imperfeitos e não me é difícil que toda a gente à minha volta fique de bom humor!

Tenho uma energia boa!

Fico tímida de mini saia e vivo um amor impossível com saltos altos!
Sonho fazer um book mas não sei o que fazer quando me apontam uma objectiva!
Gosto de autoretratos, adoro polaróides!

Não, também não sou bonita... não tenho aquela beleza que pare o trânsito ou que marque a memória das pessoas! Sou alta e elegante e isso torna-me distinta!

Sou clássica... Amo o antigo mas odeio o "antigamente", amo o que sou, mas tenho medo do que poderia ser...

Não, mas sensual não, não insistas!

Sou convencida e digo isto para chamar a atenção sobre mim? Não me conheces pois não? Provavelmente nunca passaste mais do que 5 minutos a conversar comigo não é? Existem demasiadas pessoas como tu na minha vida...

Suspiro."

terça-feira, 12 de julho de 2011

Adicione Título

Abriu os olhos lentamente, um pouco a medo eu diria, a cabeça doía, as memórias da noite passada também! Eram aos pedaços, como se as tivessem acabado de rasgar na sua cabeça! E doíam, doíam tanto!

Ficou deitada mais uns largos minutos, tentando juntar todos os pedaços rasgados… por fim desistiu! Sentiu-se enojada demais para continuar! A persiana estava semifechada e entravam travos de luz entre pequenas ranhuras! Podia ser um ambiente mágico e bonito… mas não, não era mágico e muito menos bonito! O cinzeiro estava a abarrotar de cinza e cigarros deixados a meio… o chão, coberto de roupa e garrafas vazias, estava sujo e com álcool vertido em poças… a cama, onde estava deitada, era a parte do quarto que mais a enojava! Estava tão nojenta e nua como o vulto que dormia a seu lado…

Decidiu levantar-se, fê-lo lentamente, ao ritmo a que a dor de cabeça e as voltas no estômago lhe permitiam! Pegou nas notas porcas da mesinha de cabeceira e já em pé foi apanhando a roupa que lhe pareceu ser sua e, vestindo-a, atravessou o quarto e percorreu o corredor desconhecido! Cheirava mal em toda a casa… ou então era apenas o seu olfacto que estava tão imundo quanto o que via!

Entrou na casa de banho e olhou-se ao espelho, tinha rímel em toda a cara e baton até ao queixo, o seu aspecto estava, no mínimo, assustador… o lavatório tinha manchas castanhas e apenas havia um sabonete pequeno e gasto a um canto, lavou a cara, e sem secar-se saiu à rua!

O sol queimava-lhe o olhar e a dor de cabeça impedia-a de pensar! Seguiu pela baixa do chiado sem rumo, andar só por andar… começou a apressar o passo, numa tentativa vã de despegar-se do nojo!

Desistiu…

Encostou-se a uma qualquer parede e parou! Continuava a cheirar mal! Alguém urinara ali ou então era o maldito olfacto que não parava de a enojar!

Apanhou um autocarro cheio de gente e com um horrível cheiro a suores e sovacos, a palavras e barulhos…

Chegou a casa, fechou-se no quarto...

Sentiu-se mais limpa e mais protegida! Terminara mais uma noite de trabalho agora só tinha de esquecê-la com mais um dia de sono e silêncio…..